segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Na praia

Fui a praia em ipanema hoje. A tarde estava gostosa, o mar estava quente e leve, como um repousar marinho. Um descanço pras ondas, tão mansas...
Depois de mergulhar, quando a mãe eo seu sal  já limparam tudo. Sento-me confortável.
De súbito um serzinho impressionante me questiona:
Me dá 2 reais que eu escrevo seu nome no arame?
Apressadamente meu amigo se adianta em explicar que não desejamos nada.
Mas o olhar daquele serzinho invadiu meu coração. Ele era tão pequeno, sua pele vermelho terra, seus olhinhos brilhosos e amendoados...
Era impossível não desejar sua arte e trocá-la por um sacolé, era por isso que criava!
Pedi então que escrevesse no arame: Rafaela.
Ele disse que poderia me fazer uma florzinha a cima do nome.
Sorri consentindo.
Ele me entregou meu nome escrito num arame dourado.
Mas não havia uma flor, havia ali a graça que me olha todos os dias.
Ele me sorriu, como me sorri o infinito: uma estrela inevitável.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Numa noite em Ipanema, onde estava com uns amigos sentada num desses quiosques pela orla, próximo ao posto 9, um rapazinho me abordou,perguntando se poderia fazer uma estrela no arame pra mim. Consenti e além da minha ,estrela e de uma flor que fez para uma amiga, ele fez uma espécie de broche de clave de sol também no arame. Dei-lhe uma nota de 5 reais e enquanto ele falava um pouco sobre sua vida, eu e meus colegas o observavamos transformar o arame em música... Será a mesma pessoa?

    ResponderExcluir
  3. Será? Acho que é o mesmo sim! Que bom que conhecemos esse serzinho tão especial e podemos compartilhar essa beleza de encontro. =)

    ResponderExcluir